domingo, 1 de julho de 2012

A sensibilidade não morreu

Vivemos num mundo cão onde muitas vezes somos massacrados com o desrespeito e a falta de consideração das pessoas.
Quando estou quase perdendo a fé na humanidade, chegam alguns exemplos que me fazem pensar novamente que vale a pena acreditar nas pessoas!

video

Uma pata fez seu ninho numa marquise bem no centro da cidade. Na floresta, quando ela faz ninho no alto de árvores, após o nascimento dos patinhos ela voa lá de cima até o chão fofo, coberto de folhas, para chegar ao lago mais próximo. Logo em seguida, todos os filhotes pulam da árvore e caem no chão fofo continuando a jornada até o lago. Porém, no meio de uma cidade, é impossível se jogar e cair num lugar macio. E era isto que iria acontecer com os patinhos - esborracharem-se no chão - caso esta pessoa não tivesse tomado a iniciativa de ajudá-los.


quarta-feira, 30 de maio de 2012

Voltando à vida

Eu nem acredito que hoje terminei de escrever minha dissertação.
Ok, faltam alguns detalhes técnicos, como revisar o português e verificar algumas referências bibliográficas. Mas, tirando isto, posso dizer que cheguei ao final.
É meio estranho, estou me sentindo como se estivesse voltando à vida.
Passei dias, semanas e meses me dedicando a este trabalho. Nas últimas semanas a dedicação foi em tempo integral e agora que terminei, confesso que estou meio perdida, não sabendo o que fazer com este tempo livre. Algumas amigas até criaram uma lista chamada 'Coisas para fazer após terminar o mestrado', mas eu não cheguei a tanto. Tenho apenas duas coisas em mente: voltar a ler livros que não estejam relacionados ao meu trabalho e arrumar meus álbuns de fotos. Coisas simples das quais tive que abrir mão durante este período.
Minha defesa está marcada para dia 25/6, uma segunda-feira e agora é só estudar bem o trabalho e preparar uma apresentação bacana. Todo o resto já está pronto.
E, enquanto este dia não chega, vou começar a tirar as teias de aranha aqui do blog.
Obrigada a todos pela compreensão e se segurem: estamos de volta!


PS: A turnê da Madonna começa amanhã. Pelo menos a internet e minha caixa de emails ficará bem movimentada com comentários, vídeos e notícias. E em dezembro, teremos o show em terras brasileiras. Bora trabalhar para comprar ingresso e pagar a viagem!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Atualização

Sei que este blog anda completamente abandonado e faz mais de um mês que não posto nada por aqui.
Bom, eu fiz meu exame de qualificação em fevereiro e passei. Acho que nunca fiquei tão nervosa na minha vida, mas os professores da banca foram muito legais e deram ótimas sugestões para meu trabalho.

Neste exato momento me encontro sentada na McDonald Road Library, uma biblioteca pública da cidade de Edimburgo. O Rafa veio fazer uma parte do seu doutorado aqui e eu aproveitei para vir junto.
Passo boa parte do meu dia aqui na Biblioteca, sentada escrevendo. A ideia é trabalhar bastante durante a semana para ter os finais de semana livres para passear e viajar.

Os motivos para blog estar totalmente abandonado são estes: minha mudança e adaptação nesta nova cidade e país, meu trabalho como tutora de uma disciplina em um curso a distância de música e o prazo para entrega da dissertação acabando. Estou me sentindo com a corda no pescoço e preciso focar na redação da dissertação. Minha defesa deve acontecer em junho, então todo o trabalho tem que estar pronto em maio.

Enfim, estou numa correria e pretendo retomar as postagens quando estiver mais folgada, talvez lá pelo meio de maio. Enquanto isto, se quiserem acompanhar nossas andanças aqui em terras da rainha, visitem nosso álbum de fotos. Com as legendas que colocamos, dá para entender um pouco do que está acontecendo por aqui!

Torçam por mim!



Viagem Escócia


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Dança Macabra

Eu nunca tinha ouvido esta peça. E muito menos tinha visto a performance. LINDO!
Com vocês, Camille Saint-Saëns e sua Danse Macabre Op. 40.


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Transporte Público

Hoje fui ao Shopping D. Pedro e como sou usuária do transporte público, peguei a linha 300, ônibus 3506, que saía às 17h05 do terminal de Barão Geraldo.

Eu sei da importância de usar o transporte público por causa do trânsito, do meio ambiente e blá blá blá, mas confesso que fico muito p*** com algumas coisas e uma delas é pagar um valor absurdo por serviços precários e atendimento tosco.

Várias vezes eu já tive que acordar os cobradores para poder pagar minha passagem. Os caras estavam dormindo em pleno expediente e isto não aconteceu apenas uma vez.

Na grande maioria das vezes os ônibus estão atrasados e confesso que não sei como isto acontece já que, vira e mexe, eles saem do terminal ANTES do horário estabelecido. Algumas vezes cheguei no terminal às 15h para pegar o que saía às 15h07 e pasmem: ele já tinha saído.

Diversas vezes fui destratada por motoristas e cobradores (e isto tanto em Campinas como em Blumenau). Os caras agem como se fossem os donos da empresa ou dos ônibus. É ridículo.

Enfim, hoje, paguei três reais para andar num ônibus que dava medo: eu tinha medo de encostar em algum lugar e pegar alguma doença. Observem o estado do busão, acho que nunca limparam o pobrezinho:





Entrei em contato com o SAC da empresa responsável (coisa que todo mundo deveria fazer quando um serviço não é prestado devidamente) e reclamei. Como via site não há possibilidade de enviar fotos, fui cara de pau e coloquei o endereço aqui do blog. Sinceramente, espero que alguém veja isto e tome alguma providência. Se eu fosse o motorista, me recusaria a dirigir numa sujeira dessas - ele deveria ganhar adicional por insalubridade.

PS: O fotógrafo foi o Rafa!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sobre armários e peixes

Continuando o post de ontem, outro fator responsável pelo meu afastamento do blog foi a arrumação do apartamento.

Item 1: meu irmão comprou um guarda-roupas novo e deu o velho para nós, já que ainda não compramos o nosso. A montagem foi meio complicada, mas com a ajuda do antigo dono acabou dando certo e agora as roupas estão um pouco mais organizadas.

Item 2: quando comprou o guarda-roupas, meu irmão ganhou uma cômoda de brinde. Como o ap dele é pequeno, ele teve que se desfazer de um pequeno armário para caber o novo móvel. E ele veio parar também no nosso apartamento. Este foi o primeiro móvel que montamos: fácil e rápido. Na primeira porta colocamos potes e utensílios de cozinha e na segunda, guardamos os DVDs e alguns livros. Com isto, conseguimos esvaziar algumas caixas e começar a enxergar o piso da sala...

Item 3: Eu e o Rafa estávamos com a casa cheia de caixas com livros e não tínhamos nenhum lugar para colocá-los. Eis que no twitter surge a oferta de uma amiga, a @jululi: ela queria se desfazer de uma estante e estava doando, mas era necessário buscar o móvel em Florianópolis. Depois de muita troca de ideias e de ponderações, resolvemos arriscar. Contratamos uma transportadora e para baratear o serviço, o Rafa foi como ajudante!!! Num sábado de manhã ele saiu de Blumenau rumo a Floripa e logo depois do almoço estava de volta a Blumenau. A estante foi montada e ficou lindona. O melhor de tudo é que TODOS os nossos livros couberam ali. Além disto, tem espaço para nós dois trabalharmos e as gavetas foram divididas irmanamente: duas para coisas gerais da casa e 3 para cada um colocar suas coisas particulares. Muito digno!

Observação importante: somente depois de passar vários dias montando este monte de móveis, usando e abusando de cataflan, é que conseguimos limpar o apartamento. Jogamos todas as caixas fora e nos jogamos na faxina!

Neste mesmo dia, enquanto o Rafa ia para Florianópolis buscar a estante, eu, meus pais e meu irmão fomos até o Mercado de Peixe em Itajaí para comprar nossa ceia de Natal. Sim, é isto mesmo: nosso Natal não teve peru, mas peixe! Além disto, comprei os ingredientes para fazer uma moqueca capixaba na panela de barro que trouxe de Vitória!!!

O passeio foi muito legal. O mercado é pequeno, mas tem variedade, produtos de qualidade e com preço acessível. No meio da manhã resolvemos comer uma empadinha numa lanchonete que tem dentro do mercado. Estávamos lá sentados quando se aproximou uma repórter e perguntou se poderia tirar uma foto nossa. Toda semana, no jornal da cidade, tem uma coluna com foto das pessoas que frequentam o mercado e a gente foi parar lá! A foto ficou ruim porque tive que dar um jeito de recortar do arquivo on-line do jornal. Enfim, gente importante sai até no jornal de Itajaí!


Mais algumas fotos de outros momentos no mercado. Neste dia eu estava usando minha câmera digital que eu julgava estar quebrada. Depois de levar na assistência técnica, descobri que o problema eram as pilhas: foi só trocar, comprar originais, que a máquina voltou a funcionar e eu aproveitei para testar as coisas que aprendi no curso de fotografia!

O mercado no sábado pela manhã.

Lanchonete das empadinhas e da foto "glamourosa"

Barraca do camarão!

Resultado das compras...

Enfim, depois de tirarmos foto para o jornal, de sairmos cheios de sacolas e enchermos o porta-malas, tivemos uma ótima surpresa - o motorista esqueceu o farol ligado. Resultado: saímos do Mercado do Peixe empurrando o carro... Coisas que só um passeio em família pode nos proporcionar!

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Retomando...

Faz um tempo que blog está meio abandonado. Várias coisas aconteceram no final do ano que fizeram com que eu priorizasse outras coisas.

Vamos lá:

  • Meu cachorro ficou muito doente. Só quem tem um para entender o quanto isto é atormentador e angustiante. No final das contas, ele se recuperou e já está ótimo.
  • Meu apartamento estava uma completa zona. Este lance de morar em dois lugares não é fácil. Eu tinha umas 30 caixas com livros espalhadas pelo apartamento inteiro e 3 móveis desmontados na minha sala: um guarda-roupas, uma estante para livros e computador (que fomos buscar em Florianópolis) e uma estante para a sala. Sim, tudo isto desmontado no meio da minha sala junto com uma sujeira acumulada de quatro meses com a casa fechada.
  • Uma qualificação para entregar.

Enfim, parece pouco, mas para mim, não foi. E vou começar a contar esta história de trás pra frente.

Quando resolvi fazer o Mestrado, não imaginei o quanto eu iria aprender com todo este processo. Fiz muitas disciplinas, li e estudei assuntos dos quais não tinha uma noção muito clara e convivi com pessoas que me ensinaram “prá caramba”.

Agora, estou chegando à reta final e um dos processos pelos quais tenho que passar, é o Exame de Qualificação. Eu nunca tinha ouvido falar nisto antes de entrar no Mestrado. E o que, afinal, é esta coisa que tanto ronda a cabeça dos mestrandos e doutorandos?

O Exame de Qualificação nada mais é que uma apresentação, para uma banca de professores, do seu trabalho do mestrado (ou doutorado). No meu caso, tenho que apresentar 50% do trabalho para esta banca e eles avaliarão se estou no caminho certo, o que devo mudar e acrescentar no trabalho. Se você é aprovado neste exame, significa que sua pesquisa está no caminho certo. Pode precisar de alguns ajustes, mas está no caminho certo.

E foi isto o que me tomou muito tempo desde novembro, até o dia 27/01, sexta-feira passada, quando entreguei minha versão final para a Qualificação.

Minha sorte foi que fiz muitas disciplinas que realmente me ajudaram a escrever e fundamentar meu trabalho. Quando me propus a estudar idosos, envelhecimento e suas relações com a educação musical, eu não tinha muita clareza sobre estes assuntos.

Tive que fazer algumas disciplinas no Programa de Pós-Graduação em Gerontologia, da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. As disciplinas que fiz no Mestrado em Música da UNESP foram importantíssimas para que eu estruturasse e fundamentasse meu trabalho na área da educação musical. Além disto, grande parte do meu texto da qualificação saíram de trabalhos que tive que fazer para ser avaliada nestas disciplinas.

Eu aprendi também que trabalhar interdisciplinarmente não é muito fácil, pois você tem que se apropriar de conhecimentos que não são específicos da sua área de formação. No meu caso, isto aconteceu com a Gerontologia. Eu não tenho como medir o quanto aprendi, mas posso dizer que hoje, estou melhor preparada para lidar com as questões referentes ao envelhecimento (tanto meu como dos outros) e aplica-las na minha prática como educadora musical.

De qualquer forma, estou quase no final do percurso. Cerca de 50% da minha dissertação está pronta e agora é só me concentrar para preparar o material que devo apresentar no dia da minha Qualificação, que ficou marcada para dia 28/02 (terça-feira), às 14 horas.

Depois disto, se eu passar, é só trabalhar duro para concluir a dissertação.

Torçam por mim!